Pesquisar este blog

domingo, 27 de janeiro de 2013

Como Fazer Amigos & Influenciar Pessoas



Mais de um ano se passou sem nenhuma postagem. Pensando nisso durante a semana, lembrei das palavras de um dos grandes mestres que tive ainda na querida Escola Agrotécnica, que diziam algo do tipo: “Não deixe de escrever nele. Você irá começar a ter outras ocupações,  começar a trabalhar, e vai parecer que as outras coisas são mais importantes. O grande desafio é não deixar de fazê-lo. E acredite, cair na rotina é muito fácil. Cuidado!”

Nada melhor que a experiência, não é professor? O senhor tinha razão. Mas, como sempre é tempo, eu voltei!
E as coisas tem realmente mudado...os livros que compro hoje já são diferentes, a frequência de leitura é menor, a vida em si é diferente. Um ano é um tempo enorme.

Sendo que o que vale é a vontade, o recomeço não é menos nobre que a continuidade. Vamos tentar mais uma vez.

Durante esse ano, agora com status de “adulto”, trabalhador de carteira assinada e com inúmeras outras responsabilidades, tive a oportunidade de participar de uma série de treinamentos comportamentais, palestras e conversas com profissionais com uma bem sucedida carreira, entre outras coisas. Nesses encontros, em mais de uma oportunidade, vários deles citaram este livro como um bom começo para se aprender a lidar com pessoas nas organizações. Sempre com o mesmo alerta: é um livro antigo, escrito há mais de 70 anos, mas acreditem, ele funciona!

Se é assim, por que não tentar, não é? Saindo de um desses cursos comprei o famoso livro da capa azul, com escritos em dourado e branco: “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas – O guia clássico e definitivo para relacionar-se com as pessoas.” Estava na prateleira de auto-ajuda, mas lhes garanto que não se encaixa neste perfil.

Perceptivelmente, o linguajar é próprio da época em que foi escrito. A leitura é fácil. O autor sugere que sejam destacados os principais pontos, anotando-os, e que ao final de cada capítulo o mesmo seja relido. Diz ele, essa é a fórmula para o sucesso!
Se eu o fiz? Só no começo. Devo ter relido os primeiros capítulos. Os demais limitaram-se ao sublinhar das principais ideias.

De fato, Carnegie faz ótimas colocações. Dependendo do ponto de vista em que se analisa a obra, pode parecer uma técnica barata de manipulação. Como com uma arma de fogo, pode-se caçar um animal para saciar a fome ou se atirar em uma pessoa inocente. O uso da ferramenta é que arruma ou danifica o móvel.
Trata-se basicamente de psicologia. Leitura recomendada!

Abaixo, seguem os resumos dos capítulos, feitos pelo próprio autor ao final de cada parte.

Parte 1 – Técnicas fundamentais para lidar com as pessoas
Princípio 1: Não critique, não condene, não se queixe;
Princípio 2: Aprecie honesta e sinceramente;
Princípio 3: Desperte um forte desejo na outra pessoa.

Parte 2 – Seis maneiras de fazer as pessoas gostarem de você
Princípio 1: Torne-se verdadeiramente interessado na outra pessoa;
Princípio 2: Sorria;
Princípio 3: Lembre-se que o nome de uma pessoa é para ela o som mais doce e importante que existe em qualquer idioma;
Princípio 4: Seja um bom ouvinte. Incentive as pessoas a falarem sobre elas mesmas;
Princípio 5: Fale de coisas que interessem à outra pessoa;
Princípio 6: Faça a outra pessoa sentir-se importante e faça-o com sinceridade.

Parte 3 – Como conquistar as pessoas a pensarem do seu modo
Princípio 1: A única maneira de ganhar uma discussão é evitando-a;
Princípio 2: Respeite a opinião dos outros, nunca diga: “Você está enganado”;
Princípio 3: Se estiver errado, reconheça o seu erro rápida e enfaticamente;
Princípio 4: Comece de maneira amigável;
Princípio 5: Consiga que a outra pessoa diga “sim, sim”, imediatamente;
Princípio 6: Deixe a outra pessoa falar durante boa parte da conversa;
Princípio 7: Deixe que a outra pessoa sinta que a ideia é dela;
Princípio 8: Procure honestamente ver as coisas do ponto de vista da outra pessoa;
Princípio 9: Seja receptivo às ideias e desejos da outra pessoa;
Princípio 10: Apele para os mais nobres motivos;
Princípio 11: Dramatize as suas ideias;
Princípio 12: Lance, com tato, um desafio.

Parte 4 – Seja um líder: como mudar as pessoas sem ofendê-las nem deixá-las ressentidas
Princípio 1: Comece com um elogio ou uma apreciação sincera;
Princípio 2: Chame a atenção para os erros das pessoas de maneira indireta;
Princípio 3: Fale sobre os seus erros antes de criticar os das outras pessoas;
Princípio 4: Faça perguntas ao invés de dar ordens diretas;
Princípio 5: Permita que a pessoa salve o seu próprio prestígio;
Princípio 6: Elogie o menor progresso e elogie todo o progresso; Seja “sincero na sua apreciação e pródigo no seu elogio”;
Princípio 7: Proporcione à outra pessoa uma boa reputação para ela zelar;
Princípio 8: Empregue o incentivo. Torne o erro fácil de ser corrigido;
Princípio 9: Faça a outra pessoa sentir-se feliz realizando aquilo que você sugere.

Cada um dos princípios resume um dos capítulos do livro.

Boa leitura!

Como Fazer Amigos & Influenciar Pessoas - O guia clássico e definitivo para relacionar-se com as pessoas. Dale Carnegie. Companhia Editora Nacional. 52ª ed. São Paulo, 2012. 262 pp.


Dale Carnegie foi o autor de diversas obras que, até hoje, são empregadas em treinamentos de desenvolvimento de competências e habilidades. A Dale Carnegie Training (http://dalecarnegie.com.br/) possui diversas franquias pelo Brasil. Talvez seja uma ótima oportunidade de aprendizado para aqueles que se interessarem.

Um comentário:

  1. Wow, you are back! How wonderful!
    I refused to think you had really quit this blog, you know, writing is quite an addiction.
    About Carnegie, I´ve heard many comments from people who attended courses based on his book and they said it was a really amazing way to improve the interpersonal relations.
    Reading your comments I can say that a good teacher´s work is pretty much that! Maybe we could say that to be a good teacher one must know how to make friends and influence people ( and somehow, manipulate them )! I guess from the time this book was written, we can get to the conclusion that the time passes but things continue pretty much the same, at least in terms of human beings!
    I’m really curious to know your opinion about some of the author’s ideas, and just for a change, I have a question: have you already tested any of his techniques? As an engineer, I guess you would just credit what is plausibly proved, wouldn’t you?
    Well, it’s great to have your reviews again, especially because the books you read are always interesting.
    Thank you, and keep on read/writing!
    Kiss.

    ResponderExcluir