Pesquisar este blog

domingo, 5 de dezembro de 2010

Fora de órbita

“Acordei na sexta-feira e, como o universo está em expansão, levei mais tempo do que o habitual para achar o meu roupão.”
Confesso que jamais havia lido algo sequer escrito por Woody Allen. Eis que, devido à ótima promoção que retornou às Livrarias Curitiba (Catarinense e Porto), lá estava uma ótima oportunidade de experimentar. A capa era bonita, simples. Aceitei o convite.
A frase acima, do texto que dá nome ao livro, foi suficiente para que eu resolvesse investir R$ 9,90 em uma nova “amizade”. Vamos lá Woody, quero ver se você faz jus à fama...
Iniciada a brincadeira, não demorou muito para que lesse as 213 páginas, divididas em 18 contos recheados de um humor peculiar e inesperado, amparado por um vocabulário extremamente rico. Em certos momentos me fez lembrar Luís Fernando Veríssimo, porém um pouco mais nonsense.
Conheço quem não goste de seu estilo (sei inclusive que você irá ler esse post!). Minha opinião? Não estou apto a dá-la, ainda, pois é o único trabalho dele que conheço. Mas devo dizer que gostei muito deste. Até mesmo peguei-me rindo em alguns momentos.
A encadernação e a qualidade do material também são ótimas.
Mostrou-se uma bela companhia durante as mais de 4 horas esperando por uma conexão para Concórdia, em um feriado desses.
Além de tudo, para quem tiver como ir à livraria que citei, talvez ainda o encontre por lá. Confira e veja se vale a compra. Para mim valeu!

Abraços, e boa leitura!
O livro: Fora de órbita. Woody Allen. Agir, 2007.